Defensoria Pública é destacada na abertura do Ano Judiciário

Defensoria Pública é destacada na abertura do Ano Judiciário

O desempenho da Defensoria Pública no trâmite dos processos foi destacado pelo presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, desembargador Sebastião Ribeiro Martins, durante a abertura do Ano Judiciário ocorrida nesta segunda-feira (21) no auditório do Tribunal Pleno do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí com a presença da defensora pública geral,  Hildeth Evangelista, que compôs a mesa de honra ao lado das demais autoridades. Defensora pública geral fez parte da mesa de honra Ao abrir os trabalhos e reforçar as metas de sua gestão, comemorando a instalação do primeiro Cartório de Notas em um bairro de Teresina, destacou o empenho da Defensoria Pública ao fazer referência à fala da governadora em exercício, Regina Sousa, relacionada aos conflitos de terras no Piauí. “Temos hoje a grata satisfação de informar sobre a instalação do 6º Cartório de Notas no Bairro Dirceu Arcoverde, o que beneficiará uma parcela significativa da população, destacando ser esse um trabalho do desembargador Luis Gonzaga Brandão de Carvalho, que implantou grandes avanços na área dos serviços extrajudiciais e a quem parabenizo. Voltamos a enfatizar que teremos uma gestão voltada para a produtividade e o combate à violência contra a mulher. Queremos também reconhecer aqui o trabalho desempenhado pela Defensoria Pública, responsável por mais de 70% dos processos que hoje tramitam nas nossas Varas. É exatamente junto a esse público mais pobre, que são as pessoas de baixa renda, que a Defensoria atua. Reconheço então esse trabalho da Instituição, mas sobretudo o da Dra. Hildeth Evangelista, como Defensora Pública Geral”, afirmou. O discurso de abertura do Ano Judiciário ficou à cargo do desembargador Luis Gonzaga Brandão de Carvalho, que voltou a destacar as metas da atual gestão do Tribunal de Justiça. “Cremos que avançando em todas as metas propostas pela gestão deste Tribunal, fluirá a Justiça que todos desejamos, como bálsamo de nossa agonias nas relações tumultuadas entre pessoas o poder público e o privado. Vamos aproveitar essa onde de imensas agitações populares que grassa pelo Brasil e pedir que o Judiciário  efetue urgentes e necessárias mudanças,  seguindo as diretrizes da nova gestão para efetivar o aumento da produtividade, que já é uma realidade incontestável nos números levantados pelo CNJ e ampliar as ações de enfrentamento à violência contra mulheres. Precisamos de um Judiciário forte e do fortalecimento de todos os Poderes. Não se pode, em um sistema democrático enfraquecer esses Poderes”, disse. A governadora em exercício, Regina Sousa, parabenizou ao Judiciário pela nova gestão e destacou a referência às metas. “Estou feliz em ver que entre as metas do Judiciário está o reforço ao combate à violência contra as mulheres. É preciso julgar os processos de feminicídio. Criar talvez um grupo especial que trate esses processos, que não podem ficar na fila dos demais, para avançarmos nessa luta.  Também não podemos fechar os olhos para causas que parecem pequenas mas são grandes pelo significado, entre as quais os conflitos de terra.  São pessoas que estão nessa luta há anos, somando-se ai seus filhos em netos. Não é aceitável. É preciso voltar os olhos principalmente para os Cerrados. Por fim é muito bom trabalhar com metas, para que a população possa acompanhar o trabalho da Justiça”, afirmou. Hildeth Evangelista externou o desejo que o Ano Judiciário seja produtivo e reafirmou o compromisso e o desempenho da Defensoria Pública na questão da movimentação dos processos. “Importante lembrar que 77% de toda a movimentação do Judiciário do Estado do Piauí é responsabilidade da Defensoria Pública. Somos nós que atendemos essa população de baixa renda, que não te como custear a defesa de um processo em detrimento ao seu sustento pessoal e de seus familiares, bem como prestamos assistência na área Criminal, na qual  quase sempre todos os processos, principalmente os da Execução Penal, ficam com a Defensoria Pública. Sendo assim, reafirmamos nossa parceria e desejamos que o Ano Judiciário, hoje aberto oficialmente, seja produtivo para todos os atores que compõem o Sistema de Justiça e buscam com o reforço das parcerias institucionais, para vencer os desafios de cada Instituição, em favor de uma Justiça mais célere e resolutiva em todo o Piauí”, destacou.  

Dê sua opinião: