Senado

"Zero Cinco" controla órgãos importantes no governo Bolsonaro: FNDE, CODEVASF e DNOCS

Senador Ciro Nogueira será o novo ministro-chefe da Casa Civil

Senador Ciro Nogueira com Bolsonaro em Santa Filomena

Senador Ciro Nogueira com Bolsonaro em Santa Filomena Foto: Assessoria parlamentar

 Convidado para assumir a Casa Civil, o senador Ciro Nogueira (PP-PI) controla postos importantes em três órgãos do governo federal. No último ano, o parlamentar passe livre no Palácio do Planalto, foi apelidado de "05" -- em referência aos filhos do presidente Jair Bolsonaro -- e expandiu sua ingerência sobre a verba federal e a máquina pública.

A principal nomeação de Ciro Nogueira é a de Marcelo Lopes da Ponte, seu ex-chefe de gabinete, no FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação). Ponte assumiu o cargo em 29 de maio de 2020, período em que Bolsonaro cedeu uma série de postos a aliados do Centrão. O órgão tem um orçamento de R$ 31 bilhões, um dos maiores da Esplanada dos Ministérios.

Deputados e senadores ouvidos pelo O GLOBO relatam que, após Ponte assumir, os parlamentares do Centrão ganharam mais acesso ao órgão e conseguiram liberar indicações de verba com mais facilidade. São repasses a governos, prefeituras e até diretamente às escolas para financiar alimentação escolar, ônibus, material didático e outros itens.

Em 2020, o FNDE liberou R$ 413 milhões em verbas de "emendas de relator", o "orçamento paralelo" controlado informalmente pela cúpula do Congresso. O GLOBO pediu ao órgão, via Lei de Acesso à Informação, documentos com pedidos de parlamentares que tenham embasado essa distribuição. O FNDE negou haver registros desse tipo.

No estado do Piauí, Ciro também tem influência na Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba). Nome de confiança de Nogueira, o superintendente da companhia no estado, Inaldo Pereira Guerra Neto, está no cargo desde abril de 2019. Em 2016, no governo Temer, Guerra Neto chegou a ocupar a presidência nacional da Codevasf, também por indicação do senador. A companhia desembolsou R$ 180 milhões no Piauí em 2020 em projetos de desenvolvimento regional.

Também em 2020, de sua cota do "orçamento paralelo", Ciro destinou R$ 30 milhões à Codevasf no estado. Em ofício obtido pela reportagem, o senador pede que o dinheiro seja empregado em recuperação de estradas vicinais e pavimentação de vias.

O coordenador do DNOCS ((Departamento Nacional de Obras Contra as Secas) no Piauí também foi indicado por Ciro Nogueira. Rodrigo Moura Parentes Sampaio está no cargo desde fevereiro de 2021. Antes disso, em 2020, ele trabalhou como auxiliar parlamentar no escritório de Nogueira no Piauí. Historicamente, Nogueira controla o órgão no estado.

Não é apenas no governo federal que Ciro Nogueira tem influência. Mesmo rompido com o governo de Wellington Dias (PT) no Piauí, mantém boa relação com o secretário de transportes estadual, Hélio Isaias, do PP.


Uma triangulação de recursos mostra como funciona a rede de aliados. No ano passado, Arthur Lira enviou R$ 20 milhões do "orçamento paralelo" à Codevasf no Piauí. O aliado de Ciro na superintendência direcionou a verba ao governo estadual para adequação e construção de estradas vicinais.


Na ponta final, o secretário estadual Isaías, correligionário de Ciro e de Arthur Lira, irá executar a obra. Segundo a Secretaria de Transportes, o projeto "encontra-se em análise, em viés de  aprovação junto à Codevasf".
Procurado sobre as indicações, Ciro Nogueira não comentou.

Indicados do senador Ciro Nogueira:

Marcelo Lopes da Ponte Foto: Divulgação
Marcelo Lopes da Ponte Foto: Divulgação

FNDE: À frente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, Marcelo Lopes da Ponte administra orçamento de R$ 31 bilhões, um dos maiores do governo. Abriu o cofre a aliados e tem repassando verbas a estados e prefeituras.

Inaldo Pereira Guerra Neto Foto: Divulgação
Inaldo Pereira Guerra Neto Foto: Divulgação

Codevasf: Superintendente da companhia no Piauí, Inaldo Pereira Guerra Neto chegou a ocupar a presidência nacional do órgão no governo Temer por indicação de Ciro Nogueira. O companhia liberou R$ 180 milhões para o Piauí em 2020 .

Rodrigo Moura Parente Sampaio Foto: Divulgação
Rodrigo Moura Parente Sampaio Foto: Divulgação

Dnocs: Rodrigo Moura Parentes Sampaio, coordenador do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas no Piauí, está no cargo desde fevereiro. Foi auxiliar parlamentar de Ciro Nogueira. Historicamente, o senador controla o órgão no estado.


 

Fonte: O Globo

Dê sua opinião: