Governadores vão agir em conjunto contra óleo nas praias do Nordeste

Governadores vão agir em conjunto contra óleo nas praias do Nordeste

  Wellington Dias reassumiu o governo
Fotos: Paulo Barros/CCom Em solenidade simples, no início da manhã desta sexta-feira (1º/11), no Palácio de Karnak, o governador do Piauí, Wellington Dias (PT) reassumiu o governo. A vice-governadora Regina Sousa (PT) e o deputado estadual Fábio Novo participaram da solenidade. Wellington Dias avaliou a viagem ao Vaticano e a reunião, agendada para a próxima quarta-feira (6), quando os nove governadores do Nordeste vão definir as ações estratégicas para combater o desastre ambiental provocado pelo óleo que poluiu dezenas de praias do litoral nordestino “Alertamos para a situação do óleo que chega nas praias e a necessidade de um apoio técnico para investigação. O fato é que ainda não parou e há a necessidade de cuidarmos com muito cuidado pelo efeito, que isso tem ambiental e social e econômico. Há necessidade de um tratamento emergencial. O Consórcio do Nordeste já se posicionou na primeira semana. Já retiramos uma posição comum de agir. Não só o Piauí, mas há uma parceria com todos os órgãos e todos os estados do Nordeste”, adiantou o governador. Segundo Wellington Dias, o Piauí foi um dos estados menos atingidos pelo óleo. “Tivemos mais de 300 kg de óleo retirado de praias. Ao verificar essa situação, ainda é preciso saber a origem. Há quanto tempo tem o vazamento? Qual a origem? Qual a solução? Ele foi esporádico ou prossegue? Há indícios de que antigos poços em alto mar apresentem vazamentos. É necessidade de apoio técnico que possa garantir diagnóstico correto e uma solução efetiva. Vamos nos encontrar dia 6 no Recife, Pernambuco, com um grupo de trabalho que  está debruçado sobre isso e deveremos ter um apontar de medidas. Não podemos ficar esperando medidas do Poder Central. Há necessidade de agir com muita segurança”, defendeu. O governador também comentou a viagem que fez ao litoral. “Fizemos várias agendas. Estive em Parnaíba e já me encontrei com a equipe técnica. Apontamos a necessidade dos efeitos no Estado. Já foi verificado e comprovado a contaminação e morte de tartarugas. Temos área de desova e reprodução. Temos peixe-boi e cavalo-marinho. É muito delicado na região entre Jericoacoara, Camocim, em direção ao Delta do Parnaíba e Lençóis Maranhenses. Há necessidade de cuidarmos desse ecossistema com muita clareza, sem contar a nossa população vive do pescado. A atividade econômica não pode ser afetada. O Piauí ainda é um dos estados menos afetados, porém, qual a nossa preocupação. É que não parou. Na região da Bahia chegou uma onda nova de óleo. O turista pode vir tranquilo. As medidas permitem um reparo com grande eficiência”, avaliou. Vice-governadora Regina Sousa devolve o cargo para Wellington Dias
Fotos: Paulo Barros/CCom00 Wellington Dias agradeceu à vice-governadora Regina Sousa pelo empenho durante sua viagem ao Vaticano. “Agradeço a nossa governadora Regina Sousa pelo trabalho que desenvolveu nesse período com toda a nossa equipe. Tivemos três agendas destacadas. A primeira delas é o encerramento do Sínodo com a presença do Papa Francisco. Tivemos a aprovação de uma carta aprovada por lideranças vinculadas à Igreja Católica e todos os continentes. Não apenas da região da Pan-amazônica, mas de todos os continentes. Ela é um marco para o planeta porque traz uma carta a partir de líderes da Igreja, mas traz um alerta que a ciência percebe do que vivemos no planeta. Há uma elevação da temperatura que altera a vegetação, o ciclo da água e coloca em risco os seres humanos.  Já temos o que chamamos de processo de mudanças climáticas. É algo a ser cuidado. Tivemos uma celebração pelo Papa e a abertura do evento da Pontífice Academia de Ciência do Vaticano, coordenada pelo Dom Marcelo, com a presença de Dom Cláudio e vários líderes. A organização da Pan-amazônia onde os estados ou províncias da Amazônia. Onde os estados e províncias dos noves países que integram a Amazônia, sou grato. Essa é uma porta aberta pelo estado do Piauí que é pré-amazônia e deve ser tratado dentro dos programas e metas a serem trabalhadas e alcançadas. Tem um documento final com caminhos para o desenvolvimento sustentável. Criação de pescado, turismo, projetos da produção de frutas nativas, não tem romantismo. A ideia é trabalhar na perspectiva de garantir qualidade de renda e vida para quem vive nas florestas. Na Agenda da Alemanha fica claro que há uma disposição do mundo em ajudar, mas o dinheiro que seus contribuintes colocam deve chegar diretamente as pessoas beneficiadas. Devem ser projetos com transparência e acompanhamento. Foi um momento importantes para o Piauí, o Brasil e o mundo”, concluiu.

Dê sua opinião: