Maia e Alcolumbre vão trabalhar contra taxação do excendente de energias limpas

Aneel quer cobrar o compartilhamento da energia excedente produzida por usuários individuais

Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre

Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou, no Twitter, concordar 100% com o presidente Jair Bolsonaro, que se manifestou contra a taxação do uso da energia solar. Maia afirmou ainda que vai trabalhar junto para evitar que isso aconteça.

Toda esta discussão teve início porque a Agência Nacional de Energia Elétrica, a Aneel, estuda cobrar uma taxa sobre o compartilhamento da energia excedente produzida por usuários que contam com estrutura própria de geração em suas casas.

O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre, em conversa com o presidente da República, Jair Bolsonaro, reafirmou que é contra a criação de novos impostos aos brasileiros. Alcolumbre enfatizou que é contra a taxação da energia solar, que é um setor importante da energia limpa e que está em potencial crescimento.

O presidente Bolsonaro se manifestou pela primeira vez sobre o aumento em um vídeo divulgado em sua rede social, no último final de semana.

“No que depender de nós, não haverá taxação da energia solar. E ponto final. Ninguém fala no governo a não ser eu sobre essa questão. Não me interessa pareceres de secretários, seja quem for. A intenção do governo é não taxar. Agora, que fique bem claro, que quem decide esta questão é a Aneel, a Agência Nacional de Energia Elétrica. É uma agência autônoma. Os seus interesses têm mandato. Eu não tenho qualquer ingerência sobre eles. A decisão é deles”, disse.

Mesmo assim, no término do vídeo, Bolsonaro disse que o governo não discutirá mais sobre este assunto e deixou claro que ele e seus ministros são contra a taxação da energia solar.

Fonte: Agência do Rádio

Dê sua opinião: