Senado

Ex-presidente Lula queria o PT longe do senador Ciro Nogueira

Sete meses após declaração, o rompimento desejado pelo ex-presidente entre o Partido dos Trabalhadores e o Progressistas se consolidou no Piauí

Ex-presidente Lula queria o PT do Piauí longe de Ciro Nogueira

Ex-presidente Lula queria o PT do Piauí longe de Ciro Nogueira

Em entrevista concedida no mês de janeiro, para o site O Antagonista, o ex-presidente da república, Luís Inácio Lula da Silva declarou o interesse em que o Partido dos Trabalhadores rompesse seus laços políticos com o partido Progressistas, comandado pelo senador Ciro Nogueira.

A matéria, publicada oficialmente no dia 15 de julho já afirmava que era de conhecimento do governador Wellington Dias (PT) essa intenção. Uma outra exigência do ex-presidente era de que o PT coloque uma candidatura própria a governador do estado nas eleições de 2022. 

Segundo a publicação, Ciro Seria obcecado por governar o estado do Piauí, e buscando dar mais apoio às candidaturas para as prefeituras do estado,  visando uma maior representatividade do partido em 2022, o parlamentar iria se licenciar do seu cargo de senador para para apoiar candidaturas dos correligionários nas eleições municipais de 2020. 

A matéria dizia ainda que em Brasília, Ciro tentaria estreitar a relação do partido com o Palácio do Planalto, na tentativa de quebrar uma hegemonia do petista no estado do Piauí, e para isso iria começar a “peitar” o atual governador do estado, Wellington Dias. 

De fato, a aproximação entre Progressistas e o Governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aconteceu. Na última semana o Piauí recebeu o presidente da República, ocasião no qual visitou Museu da Natureza e ao Parque Nacional da Serra da Capivara, além de anunciar diversos investimentos na região.

Recentemente o senador também anunciou a construção de uma ponte na cidade de Parnaíba, litoral do estado, que levará o nome de “Geraldo Bolsonaro” nome do pai do presidente Bolsonaro, outro indicativo da aproximação do Governo Federal com o Progressistas.   

Já no Mês de junho, o senador Ciro Nogueira emplacou dois indicados para cargos dentro do Governo Federal. O primeiro deles foi a nomeação de Fernando Marcondes de Araújo para a direção-geral do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs).  Duas semanas depois, o chefe de gabinete do parlamentar, Marcelo Lopes da Ponte, foi nomeado para comandar o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), órgão ligado ao MEC, que sempre foi alvo de assédio político por causa do orçamento, de cerca de R$ 55 bilhões, e da capilaridade de atuação em todo o país.

Passados os 7 meses da publicação onde citou o interesse de Lula no rompimento do PT com Ciro Nogueira, e, de fato, ambos os partidos romperam suas relações políticas no estado do Piauí, assim como sugeria o ex-presidente.

Em comunicado oficial emitido na última semana, o governador Wellington Dias oficializou o rompimento entre o Partido dos Trabalhadores e o Progressistas no estado do Piauí. E a decisão promete mudar um pouco o cenário das eleições em 2020 e 2022. 

Nesta segunda-feira (10) o ex-presidente petista se reuniu com o pré-candidato do PT à Prefeitura de Teresina, o deputado estadual Fábio Novo. O encontro foi realizado para discutir a participação do ex-presidente nas candidaturas do partido em todo o nordeste. A movimentação já mostra como o ex-presidente Lula deverá se portar durante as eleições de 2020 e já preparar o terreno para 2022, onde tem como exigência a candidatura própria do partido para o Governo. 

O encontro  também levanta a possibilidade de atuação do ex-presidente nas eleições que se aproximam, que terá como principal opositor do Partido dos Trabalhadores no estado do Piauí , o senador Ciro Nogueira, com forte apoio do Governo Federal.

Dê sua opinião: