Refugiados venezuelanos são transferidos para novo abrigo

Refugiados venezuelanos são transferidos para novo abrigo

Os 115 venezuelanos que estão refugiados em Teresina serão transferidos para um novo abrigo na manhã desta quinta-feira (04). Os migrantes serão acomodados no Centro Social Urbano do bairro Buenos Aires, localizado na rua Crisipo Aguiar. A chegada deles está prevista para às 8h. Os venezuelanos irão ficar no Centro Social Urbano do Buenos Aires "Estamos cumprindo uma obrigação humanitária e institucional que é acolher os venezuelanos. Desde a chegada deles, temos prestado, juntamente com a sociedade civil, igreja, governo e ONGs, toda a assistência necessária, distribuindo kits de limpeza, higiene, alimentação, além de disponibilizarmos espaços para eles ficarem abrigados", explica o secretário municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, vereador Samuel Silveira. Com a mudança, os venezuelanos que estão nos abrigos do KM7, Pastoral de Rua e sede do MP3 serão remanejados para o CSU do Buenos Aires, que é mais espaçoso e foi reformado para recebê-los. Já o grupo de migrantes do Piratinga permanecerá no local. Dessa forma, o número de abrigos passará de 05 para 02. Espaços esses cedidos pelo Governo e que serão administrados pela prefeitura de Teresina. De acordo com a chefe de Divisão de Média Complexidade da Semcaspi, Layla Paiva a mudança deve melhorar o atendimento na área da saúde e assistência aos migrantes. "O processo de mudança facilitará o fornecimento do serviço básico por parte das nossas equipes de assistentes sociais e agentes de proteção social", reforça. Os venezuelanos chegaram em Teresina no dia 13 de maio. Os migrantes são indígenas da etnia Warao e estão refugiados devido a crise econômica e política na Venezuela. O número deles na capital já chegou a 206 no mês passado, mas alguns já migraram para outras cidades. Cerca de 40% são crianças e adolescentes. Os migrantes não sabem ler, não falam português e possuem dialeto e religião própria.                 Fonte: Ascom

Dê sua opinião: