Vereador denuncia dificuldades em aprovar requerimento para audiência pública

Segundo o vereador Dr. Lázaro, a criação da Comissão Fiscalizadora de Gastos com a Covid-19 da Câmara tem sido utilizada como desculpa por demais vereadores para que não se discuta nenhuma matéria relacionada à saúde na casa legislativa.

Vereador denuncia dificuldades em aprovar requerimento para audiência pública

Vereador denuncia dificuldades em aprovar requerimento para audiência pública

O vereador Dr. Lázaro (Patriotas) através de vídeo publicado em suas redes sociais criticou a dificuldade que está encontrando em coletar 10 assinaturas de demais parlamentares da Câmara Municipal de Teresina (CMT) para que se possa aprovar o requerimento para a realização de uma Audiência Pública virtual para discutir as demandas solicitadas pela classe da enfermagem na capital. Conforme declarou o parlamentar, alguns vereadores tem se utilizado da criação da Comissão Fiscalizadora dos Gastos da Covid-19 para que não se discuta nenhuma matéria relacionada à saúde na casa legislativa.

O parlamentar foi procurado por profissionais da área da saúde que atuam na capital para investigar irregularidades encontradas pelos profissionais contratados pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina. Entre as irregularidades estão: atrasos de salário, não pagamento de insalubridade, descumprimento do decreto de isonomia entre os servidores e a falta de EPI’s entre os padrões de qualidade exigidos. “Por incrível que pareça está havendo uma grande dificuldade de nós conseguirmos coletar as assinaturas de vereadores favoráveis a causa”, lamentou o vereador.

Durante sessão virtual realizada pela CMT na última quarta-feira (27) o vereador Dr. Lázaro solicitou a criação da referida audiência pública, mas somente  5 parlamentares votaram favoráveis a solicitação, o que surpreendeu o parlamentar.

“Estamos com dificuldade em Coletar 10 simples assinaturas para aprovar uma audiência pública para debater as demandas da classe de enfermagem. Nossa intenção é ser uma voz dessa classe tão importante nesse momento de pandemia”, destacou.

Votaram favoráveis a solicitação os vereadores: Dr. Lázaro (Patriotas), Edilberto Borges (PT), Deolindo Moura (PT), Cida Santiago (PSD), Jeová Alencar (MDB).


Solicitação desnecessária

O atual presidente da Comissão Especial de Acompanhamento com os gastos da Covid-19, vereador Venâncio Cardoso (PSDB) criticou a solicitação da criação de uma audiência pública para debater o assunto, já que essa é uma das responsabilidades delegadas à recém criada Comissão fiscalizadora da casa legislativa. Na visão de Venâncio,  o objetivo da solicitação da audiência pública feita por Dr. Lázaro está em simplesmente ganhar destaque e popularidade.

Segundo Venâncio já estava marcada para a sexta-feira (29) uma reunião da Comissão Fiscalizadora da Câmara juntamente com a Comissão de Operações Especiais (COE), um grupo de profissionais ligados com a área da saúde na capital, portanto seria desnecessária a criação de uma audiência pública para discutir o mesmo assunto.

“A Comissão Especial de Acompanhamento das ações dos gastos  da Covid-19 foi instituída na quarta-feira (20) da semana passada, já na quinta-feira (21) fizemos a nossa primeira reunião ordinária e já deliberamos sobre o cronograma da comissão e na sexta-feira (22) já tivemos mais um contato e na segunda-feira (25) tivemos um contato exclusivo com o Comitê Gestor e ficou deliberado que a gente se reunisse com a Comissão de Operações Especiais (COE), em saúde pública, que é basicamente os profissionais ligados à área da saúde”, explicou o vereador.

Venâncio  também criticou a onda de ataques que a Comissão  na qual preside vem sofrendo nas redes sociais. Conforme afirmou o parlamentar, vários ataques estão sendo direcionados para a comissão através de publicações em redes sociais, mas a comissão tem agido e executado a sua função.


Dê sua opinião: