Municípios

Nova Maternidade Dona Evangelina Rosa atende casos de alta complexidade

Diferente de outras maternidades, que funcionam com demanda espontânea, a NMDER atende pacientes exclusivamente por meio da regulação estadual

Nova Maternidade Dona Evangelina Rosa atende casos de alta complexidade por meio de regulação

Nova Maternidade Dona Evangelina Rosa atende casos de alta complexidade por meio de regulação

Já funcionando em sua integralidade, a Nova Maternidade Dona Evangelina Rosa (NMDER) é uma unidade de saúde referência para casos de alta complexidade. Diferente de outras maternidades, que funcionam em sistema de porta aberta (demanda espontânea), a NMDER atende pacientes exclusivamente por meio da regulação estadual.

A classificação de risco da paciente é realizada na atenção primária, em primeira instância, durante o processo de pré-natal para o atendimento na gestação. Para a internação, a gestante deve buscar o hospital mais próximo da residência em que será realizada a avaliação obstétrica e encaminhada a NMDER, caso seja considerada de alto risco. Esse processo é de responsabilidade da Regulação Estadual.

Carmem Viana, diretora da Nova Maternidade Dona Evangelina Rosa, destaca que existe uma rede de assistência materno-infantil que conta com estrutura adequada para dar assistência a pacientes que apresentam baixo risco.

“A nova maternidade, por sua vez, foi completamente estruturada e organizada para atender aqueles casos mais sérios, os chamados casos de alta complexidade, que precisam de cuidados extras e uma maior atenção médica por já terem apresentado algum agravo durante a gestação. É essencial termos esse espaço reservado para atender os casos que se encaixam nessa classificação, pois são casos que precisam dessa atenção mais qualificada”, explica a diretora.

Perfil das pacientes 

Entre o perfil das pacientes que podem ser atendidas pela nova unidade de saúde estão aquelas que já realizam o acompanhamento no ambulatório da unidade de saúde.

Além disso, as pacientes avaliadas em hospitais municipais e que apresentem quadros como pré-eclâmpsia, doença hipertensiva da gravidez, diabetes descompensada, quadros de infecções graves, eclampsia, gravidez múltipla e pacientes que apresentam nos exames sofrimento fetal ou casos de prematuridade extrema. São algumas situações que, avaliadas corretamente pelo médico, poderão ser reguladas pela unidade.

“Outro perfil que a maternidade está apta para receber são aquelas pacientes que apresentem um quadro com mais de duas cesáreas anteriores e estão em trabalho de parto, lembrando que todos esses processos precisam ser feitos através da regulação para a nossa unidade, vindo de outras unidades de saúde, uma vez que a nova maternidade não possui atendimento para demanda espontânea como seu foco”, destaca Luciano Malta, coordenador do Centro Obstétrico da Nova Maternidade Dona Evangelina Rosa.

Desde terça-feira(28), que a admissão de novos pacientes na Evangelina Rosa está sendo feita no prédio da avenida Presidente Kennedy, na zona Leste de Teresina.

A transferência de pacientes entre as duas unidades de saúde teve início no domingo, ocasião em que foram realizados os primeiros partos na nova Mder.

Fonte: CCom

Dê sua opinião: