Hospitais do Piauí podem ficar sem recursos em 2020

Hospitais do Piauí podem ficar sem recursos em 2020

A proposta enviada pelo Governo Bolsonaro ao Congresso Nacional mostra que o Ministério da Saúde deve cortar 55,3% dos recursos destinados a serviços básicos em cidades com menos de 50 mil habitantes e 32% para reforma de hospitais universitários em 2020. Henrique Pires avalia o corte de orçamento na Funasa A projeção prevê uma redução de R$ 397,6 milhões do que a pasta poderá gastar com despesas sobre as quais a União tem liberdade para decidir se deve ou não executar. O Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários perderá R$ 131,2 milhões em relação ao que foi investido em 2019. O maior corte afetará diretamente a Fundação Nacional de Saúde (Funasa), que é responsável pelas obras de saneamento em cidades de pequeno porte. No próximo ano, o orçamento destinado para a realização dessas obras será reduzido em R$ 184,2 milhões, o que representa 7% de todo o orçamento da fundação. Se aprovado, o projeto orçamentário irá prejudicar 219 municípios do Piauí, ou seja, todos os municípios do estado que possuem menos de 50 mil habitantes. O deputado estadual Henrique Pires (MDB), que já foi presidente da Funasa, avalia que os ajustes no orçamento são importantes, mas não vê a necessidade em aplicar essa redução de custos em um setor que gera economia direta para os cofres públicos, como é a Funasa. O deputado piauiense defende que o valor investido em saneamento gera uma economia de cerca de nove vezes em saúde. Portanto, segundo ele, o corte no orçamento da Funasa não seria vantajoso para o governo. Henrique Pires avalia que os investimentos do órgão atendem a uma demanda de setores carentes, e um possível corte orçamentário seria prejudicial tanto para a população quanto para o governo.

Dê sua opinião: