Gustavo Neiva critica declaração de Wellington sobre reajuste salarial de professores

Segundo o Governo do Estado o reajuste salarial para os professores será concedido dentro das "possibilidades" do Estado.

líder da oposição criticou declarações feitas pelo governador Wellington Dias

líder da oposição criticou declarações feitas pelo governador Wellington Dias

O líder da oposição na Assembleia Legislativa do Piauí, deputado estadual Gustavo Neiva (PSB), criticou, em entrevista à imprensa na manhã desta quinta-feira (23), o anúncio do Governo do Estado de que o reajuste de 12,84%, previsto pela legislação federal, não será cumprido em sua totalidade no Piauí.

O anúncio foi divulgado pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, quando afirmou que o reajuste é  o maior desde o ano de 2009. O ajuste, acima da inflação de 2019 (4,31%), corresponde às expectativas da Confederação Nacional de Municípios (CNM), que já havia previsto o valor mínimo para o magistério passaria de R$ 2.557,74 para R$ 2.886,24.

Segundo o anúncio do Palácio de Karnak, na última segunda-feira (20), o Governo do Estado daria o reajuste aos professores, mas não seria de 12,84%, como previsto na legislação.

Em nota, a Secretaria de Estado da Administração e Previdência informou que vai sentar com a diretoria do Sinte para negociar um valor que atenda à categoria. Em seguida, o assunto será discutido pela Comissão de Gestão Financeira e Gestão por Resultados (CGFR) dentro das possibilidades do Governo do Estado”.

Gustavo Neiva, criticou a postura adotada pelo Governo do Estado em não conceder o reajuste assim como determina a Lei Federal, e se comprometeu na busca por melhorias na educação.

“A gente quer que o Governo cumpra a Lei. Essa é uma Lei Federal que determina o piso nacional do magistério, então todos os Estados e municípios têm que se adequar à lei. Eu acho que o governador deveria cortar gorduras. A reforma administrativa que ele disse que iria fazer e não fez, mandou mensagens dizendo que iria extinguir órgãos e não extinguiu, então eu acho que o governador deveria economizar, tirar gorduras e valorizar a educação”, sugeriu.

“A educação tem que ser prioridade em toda a gestão pública e é um direito dos professores e uma obrigação do Estado e dos municípios cumprir a legislação. No ano passado já houve esse mesmo debate e o governador não cumpriu com o piso Esse ano eu já acompanhei pela imprensa que ele não irá dar na totalidade o reajuste que é assegurado pela legislação federal”, lamentou o líder da oposição.

O parlamentar se comprometeu de ficar do lado dos professores na busca de um reajuste justo, como assegurado por Lei. “Nós estamos do lado dos professores. Defendendo o direito da educação. Os professores tem o direito da educação e nós haveremos de estar aqui cobrando para que o Governo cumpra a legislação, e que os professores tenham na sua integralidade o reajuste que eles têm direito”. concluiu o deputado.

Fonte: Redação

Dê sua opinião:

Veja Também