PODER

Wellington Dias exige que CPI esclareça a verdade a sobre compra de vacina Covaxin

"Vai caber à CPI esclarecer a verdade sobre o que aconteceu", acredita Wellington Dias

Governador do Piauí, Wellington Dias

Governador do Piauí, Wellington Dias Foto: Reprodução

Os fatos revelados nos depoimentos à CPI da Pandemia no Senado pelos irmãos Miranda - o deputado Luis Miranda e o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda - de que Jair Bolsonaro foi informado e nada fez sobre as irregularidades na compra da vacina indiana Covaxin, podem levar a novas denúncias e ao impeachment do presidente da República. O governador do Piauí,  Wellington Dias (PT), afirma que “tem muita coisa estranha" ocorrendo no governo e que a CPI da Pandemia tem que esclarecer todos os fatos.

“Tem muita coisa estranha. É inexplicável como naquele momento tínhamos condições de comprar em agosto e setembro 70 milhões de dose da Pfizer e não compraram. Era possível 70 milhões da Sputnik V e não compraram, teríamos 50 milhões da Janssen, era possível 50 milhões da Moderna e não compraram. Era possível se ter um contrato melhor para a produção de IFA no Brasil, não se fez. Repentinamente, em uma velocidade muito grande, uma vacina que nem aprovação tinha, tinha apenas uma oferta de 20 milhões de dose, teve um processo tão célere. Acho que vai caber à CPI esclarecer a verdade sobre o que aconteceu", defendeu Wellington Dias.

O governador, que preside o Consórcio de Desenvolvimento do Nordeste, defende um pacto nacional para a reconstrução do país.  “Defendo que a situação do Brasil é tão delicada que precisamos de um esforço muito grande para uma verdadeira pactuação. Em primeiro lugar é preciso pensar nas necessidades do Brasil. Quem for eleito em 2022 deverá se preparar para um governo de transição e de reconstrução nacional. Vamos levar uma temporada para recuperar as instituições e a credibilidade. Veja a política nas relações ambientais. Só agora tivemos a demissão do Salles depois de tantos estragos para a imagem do país lá fora. O mesmo com o ex-ministro de Relações Exteriores. Depois de muitos estragos feitos a imagem do Brasil. É uma reconstrução. Brasil vai levar um tempo para reconstrução nacional”, prevê.

Wellington Dias também comentou a decisão do Plenário do Supremo Tribunal federal (STF), que manteve, por 7 votos a  4, a decisão da 2ª Turma do STF que declarou a suspeição do ex-juiz Sergio Moro nos julgamentos as ações contra o ex-presidente Lula. “Falo da decisão do Supremo. O STF, novamente, fez uma ação que na verdade não foi para beneficiar o presidente Lula, foi para recuperar o que é previsto na Constituição. É preciso que se tenha um processo legal, sem que o julgador já decida primeiro a condenação para depois começar o processo. Sem nenhuma dúvida, fica mais claro cada vez mais, mesmo para quem não gosta do ex-presidente Lula, que ele foi injustiçado. A anulação do processo e a suspeição do julgador, que é o ex-ministro Mouro, feita pelo Supremo, colocam uma recuperação da própria imagem do Judiciário e do Ministério Público. Ninguém pode ter dúvida. Lula é experiente e tem espírito público e, sem dúvidas, um dos maiores líderes do nosso país e do mundo. Compreendo que essa aprovação em intenção eleitoral tendo inclusive a crescer. O Brasil tem outros líderes, mas Lula é o mais preparado”, avalia.

Fonte: Redação

Dê sua opinião: