PODER

Wellington Dias defende a eleição de Lula no primeiro turno: "sem sapato alto"

"Saímos cheios de energia para, sem sapato alto, ajudar nesse desejo de mudança", disse

Lançamento da pré-candidatura de Lula a Presidência da República

Lançamento da pré-candidatura de Lula a Presidência da República Foto: Divulgação

O ex-governador do Piauí, Wellington Dias (PT), comentou o lançamento da pré-candidatura do ex-presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, à Presidência da República, no sábado (7), em São Paulo.

"Saímos todos e todas cheios de energia para, sem sapato alto, ajudar nesse desejo de mudança dos brasileiros e brasileiras e também no Piauí de resolver logo no primeiro turno com muito trabalho serenidade e respeito e amor", disse.

Foi um chamamento para líderes de vários partidos na defesa da democracia, pelo compromisso de cuidar da carestia, da inflação alta, apoio aos empreendedores e geração de emprego, para voltar a crescer, pela sustentabilidade ambiental, pelo fim da política de ódio, da mentira, da perseguição... e cuidar dos mais pobres", acrescentou o ex-governador.

Sobre o pré-candidato a vice-presidente. Geraldo Alckmin, Wellington Dias afirmou que a fala do pré-candidato a vice chamou atenção pela forma sincera, firme e direta. "São compromissos que vão na direção da fala do pré-candidato Lula. De forma serena, abre caminho para voltar a estabilidade no poder central do Brasil".

No discurso que fez durante o lançamento das pré-candidaturas, Lula afirmou que “o Brasil é grande demais para ser relegado a esse triste papel de pária do mundo, por conta da submissão, do negacionismo, da truculência e das agressões a nossos mais importantes parceiros comerciais, causando enormes prejuízos econômicos ao país. O grave momento que o país atravessa, um dos mais graves da nossa história, nos obriga a superar eventuais divergências para construirmos juntos uma via alternativa à incompetência e ao autoritarismo que nos governam“, defendeu.

O petista ainda elogiou seu vice, Geraldo Alckmin, um “adversário leal“. “E estou feliz por tê-lo na condição de aliado, um companheiro cuja lealdade sei que jamais faltará – nem a mim, e muito menos a vocês e ao Brasil”.

Fonte: Paulo Pincel

Dê sua opinião: