PODER

Regina Sousa recebe o Movimento dos Trabalhadores Rurais no Palácio de Karnak

A governadora cedeu a cabeceira da mesa de reunião do Salão Azul do Palácio de Karnak ao MST

A cabeceira da mesa foi ocupada pelos trabalhadores e trabalhadoras do MST

A cabeceira da mesa foi ocupada pelos trabalhadores e trabalhadoras do MST Foto: CCom/Paulo Barros

O gesto da governadora do Piauí, Regina Sousa, de ceder a cabeceira da mesa de reunião do Salão Azul do Palácio de Karnak para o MST,  diz o que representou a audiência da manhã desta terça-feira (19) com representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.

O secretário de Estado de Governo, Antonio Neto, e a secretária de Agricultura Familiar, Patrícia Vasconcelos, acompanharam a reunião.

Em pauta, os projetos e ações do Estado para beneficiar a produção agrícola, a geração de renda e a educação no campo.


"Eu tenho uma relação boa com os movimentos, sempre tive, é quase que uma família, uma extensão da minha família.  Eles apresentaram essas pautas antes da pandemia. Muita coisa deixou de andar por causa da panedmia e a gente está retomando", explicou a governadora .



O Piauí tem hoje aproximadamente 42 assentamentos em diálogo aberto com órgãos e instituições estaduais. "Algumas coisas estão andando, por isso que vieram vários órgãos, as demandas deles são em vários órgão... e sempre em prol da produção do campo, para a produção saudável, da agroecológica e tem tudo para ser apoiado, precisam ser apoiado e merecem ser apoiado nesse trabalho em se contrapor ao agrotóxico, que mata gente. Todo ano a gente engole um quilo de veneno com essa história do agrotóxico e temos que apoiar a produção agreoecológica não só do MST , mas de todos os movimentos de produtores da agricultura família"..




A secretaria de Agricultura Familiar, Patrícia Vasconcelos, destacou que alguns trabalhos já são realizados, como processos produtivos como o Viva Semiárido e Geração de Emprego e Renda no Campo que atende as famílias diretamente nos assentamentos. “Nós também por meio do programa de Alimentação Saudável já temos vários investimentos executados e em execução dessa pauta do MST, inclusive a entrega de tratores de pequeno porte e de kits de irrigação. Temos ainda uma proposta de kits de energia solar e de perfuração de poços que estamos trabalhando para atender, além de infraestrutura e agroindústria”, informou.






Para o diretor estadual do MST, Josiel da Silva, é uma oportunidade para dialogar e colocar em pauta as necessidades existentes hoje dentro do movimento. “Colocamos em debate muitos pontos importantes para nossos assentamentos e as famílias que nelas vivem. A reforma agrária é um conjunto de políticas públicas, o crédito para a produção, a educação, os cursos profissionalizantes, o incentivo à agricultura e saúde. Tudo isso fortalece o movimento”, destacou.

Fonte: Paulo Pincel

Dê sua opinião: