Governador reage à provocação: "fora da lei será combatido na forma da lei"

Wellington Dias minimizou o discurso provocativo do empresário Valdeci Cavalcante

Governador do Piauí, Wellington Dias (PT)

Governador do Piauí, Wellington Dias (PT) Foto: Reprodução

"Fora da lei será combatido na forma da Lei”, avisou o governador do Piauí, Wellington Dias, em entrevista,  sem se alongar nas palavras ao reagir à provocação do presidente da Federação Federação do Comércio do Estado do Piauí (Fecomercio), empresário e advogado Valdeci Cavalcante, que pregou a desobediência aos decretos - que tem força de lei - determinando o isolamento social e o fechamento de empresas que atuam em atividades não essenciais por causa da pandemia da Covid-19.

Wellington Dias minimizou o discurso provocativo de Valdeci Cavalcante - que também postou vídeo nas redes sociais criticando as gestões de Wellington Dias e do prefeito de Teresina, Firmino Filho, por não terem adotado ações efetivas para enfrentar a pandemia da Covid-19 no Piauí e na capital.

“O setor do comércio que tem dialogado com o Estado, disse que vai apresentar proposta de protocolo e receberemos de bom grado", respondeu o chefe do Executivo.   

Valdeci Cavalcante disponibilizou assessoria jurídica para que se sentir prejudicado pelos decretos, inclusive para acionar o Estado e o município de Teresina por danos materiais e morais.

"Estamos com 15 advogados contratados, já passei os telefones dos advogados, qualquer problema a pessoa vai na polícia o nosso advogado vai lá, defende, solta, e ele [empresário] volta e abre de novo”, provocou Valdeci, prometendo “soltar” os empresários que forem presos por descumprir os decretos de isolamento social vigentes no Piauí.

"Fora da lei será combatido na forma da Lei”, advertiu governador. em resposta ao presidente da Fecomercio.

Mais cedo, Wellington Dias postou vídeos e concedeu entrevistas falando a parceria com a Fundação Getúlio Vargas, das reuniões com Comitê Gestor responsável pelos protocolos adotados no Piauí para combater o avanço da Covid-19.  "O que não vamos fazer é liberar as pessoas do grupo de risco, ou seja, as pessoas com mais de 60 anos e as com comorbidades. As empresas que forem reabrir precisam seguir um protocolo de saúde”, advertiu.

Antes de qualquer decisão sobre a reabertura dos setores da economia  que permanecem fechados no Piauí, Wellington Dias adiantou que será analisada a situação dos protocolos de saúde e da economia de cada território de desenvolvimento do estado.  “Começaremos a estudar uma organização em cada território do estado para saber, por exemplo, quantos leitos clínicos e de UTI cada território possui, bem como o nível de infecção para, assim, se fazer uma avaliação de uma retomada ou até retraída, caso essa retomada faça com que os casos aumentem”.

Fonte: Paulo Pincel

Dê sua opinião: