Representantes das Nações Unidas visitam Piauí para firmar parcerias


A vice-governadora Regina Sousa reuniu-se, nesta terça-feira (2), em Brasília, com representantes da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) que. propuseram fazer uma visita oficial de trabalho ao Piauí ainda este ano. O objetivo é assinar um protocolo de cooperação com vistas ao enfrentamento das desigualdades que levam à insegurança alimentar e anunciar parcerias com o governo do Estado.

Na reunião, a vice-governadora solicitou parcerias em projetos de segurança alimentar, aproveitamento da água da chuva e agricultura familiar. Sousa citou o caso das mais de 400 famílias que moram na Serra do Inácio, divisa do Piauí com Pernambuco, e que a maioria ainda não pôde ser beneficiada por projetos sociais do governos federal e estadual, por causa da indefinição sobre a que Estado pertence.

Regina Sousa informou que é a primeira visita oficial que faz ao um organismo que trabalha a contenção da fome e que em seu discurso de posse como vice-governadora afirmou que iria se dedicar aos mais pobres. Ela ressaltou que, nos últimos 15 anos, o Piauí avançou na questão social, mas ainda há extrema pobreza e é preciso fazer uma busca ativa de onde se encontram os mais necessitados. “A FAO é o organismo certo para buscar parcerias em projetos que possam ser desenvolvidos, possam incluir as pessoas, profissionalizar e produzir para se sustentarem”, declarou. A vice-governadora disse que saiu feliz do encontro porque viu abertura para uma parceria forte.

O representante da FAO no Brasil, Rafael Zavala, disse que ficou impressionado e feliz com o compromisso da vice-governadora em ajudar os mais necessitados e afirmou que ela pode contar com o apoio da FAO em sua missão de cuidar das pessoas. Ele se propôs a visitar o Estado para assinar um protocolo de cooperação com vistas ao enfrentamento das desigualdades que levam à insegurança alimentar. A proposta é fazer a visita em agosto, se possível, acompanhado de autoridades internacionais da FAO e de representantes de outras agências da ONU.

Rafael Zavala já foi representante da FAO na Colômbia e destacou ações realizadas em áreas de semiárido que podem ser compartilhadas no Piauí, como aproveitamento de água da chuva. Ele disse que pode fazer uma troca de experiência, pois no Estado também é feito o aproveitamento da água da chuva através de cisternas. Ele citou ainda o programa 100 Territórios sem fome que pode ser implantado no Piauí. “Hoje começa uma uma parceria muito forte com a FAO e o Governo do Piauí”, destacou.

 

 

 

 

 

 

Fonte: Ascom