Margarete defende empoderamento de mulheres em solenidade no TJ


A deputada federal Margarete Coelho (PP) disse nesta quarta-feira (16) que o seu mandato está aberto a qualquer ação ou reivindicação que vise o fortalecimento da luta pelo empoderamento e fim da violência contra as mulheres. A declaração foi dada durante a cerimônia de recondução do desembargador José James Gomes Pereira ao cargo de Coordenador Estadual da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, ocorrida na sala da presidência do TJ, com a presença de várias autoridades, entre as quais a defensora pública geral do Piauí, Hildeth Evangelista.

Deputada se manifestou durante recondução do desembargador (foto: Tatiara de França)

A deputada afirmou que chegou ao seu mandato “pelos braços de muitas mulheres” e que por isso mesmo é necessário abrir caminho para outras mulheres na política. Ela afirmou que a questão da violência está diretamente ligada à questão da democracia, sendo necessária a busca de políticas públicas que garantam o empoderamento feminino.

Margarete Coelho disse que faz-se necessário abrir caminho para as mulheres na política, aonde só chegaram há pouco tempo por conta das inúmeras lutas que foram obrigadas a enfrentar ao longo dos anos para terem seus direitos reconhecidos dentro de uma sociedade eminentemente patriarcal. “Foram muitos anos de luta, lutamos por nosso direito ao voto, pelo direito de escolher nossos maridos, de escolher a quantidade de filhos. E muito temos ainda que lutar”, disse, destacando que até mesmo as leis que dão garantias às mulheres ainda trazem um estigma machista. “A própria Lei Maria da Penha, que é forte, é destinada a combater a violência doméstica, ou seja deixa implícito que o lugar da mulher é dentro de casa. Mas sabemos das conquistas das mulheres, da luta pelo feminismo e também no apoio que recebemos de homens que reconhecem a nossa causa  que é por demais importante e, pedindo licença para uma brincadeira, afirmo que não existe homem mais sexy do que o homem feminista”, destacou a deputada.

“Reafirmamos que a Defensoria Pública estará sempre disponível para esse enfrentamento, o que já fazemos cotidianamente por meio do nosso Núcleo Especializado de Combate à Violência Doméstica e Familiar contra as Mulheres. Entendemos que a questão da violência contra as mulheres passa pela disponibilização de políticas públicas que as empoderem e lhes ofereçam meios de proteção, bem como sabemos que o desenvolvimento de programas e projetos, que busquem a educação dos agressores dentro desse contexto, é de fundamental importância para mudarmos essa cultura de violência que, infelizmente, ainda é tão presente. O Tribunal de Justiça pode contar com a Defensoria Pública nesse sentido”, afirmou a defensora pública geral, HIldeth Evangelista ao também se manifestar durante a solenidade

Ao fazer a recondução, o presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, desembargador Sebastião Ribeiro Martins, destacou que o combate à violência contra a mulher será uma das bandeiras de sua gestão. “Vamos priorizar os crimes de feminicídio aqui no Piauí, onde ocorreu um grande aumento. É uma meta do CNJ e também da nossa gestão. Vamos combater os crimes contra as mulheres. Não apenas a violência física, mas também a psicológica. Devido a nossa formação machista, nós nordestinos temos que dar prioridade ao combate à violência contra a mulher”, afirmou.

O desembargador José James Gomes Pereira disse ser uma honra a recondução ao cargo. “Esta manhã para mim é muito honrosa, já que a Presidência desta Casa me confia mais uma vez a gestão da Coordenadoria. Peço a toda a Rede que se junte a nós, colaborando para minorar esse grave fenômeno da misoginia”, disse o desembargador.

.