Fábio Novo critica posição de Bolsonaro em relação a defesa da comunidade LGBT


Após elogiar os governos de Lula e Dilma no tocante à defesa e proteção da comunidade LGBT, o deputado Fábio Novo (PT) criticou nesta quarta-feira (13), a posição do presidente Bolsonaro sobre o assunto.  O deputado disse que até admite o pensamento conservador, desde que não se pregue a discriminação e ódio, lembrando que no Brasil nega-se emprego a quem é LGBT, o que faz aumentar a prostituição.

Deputado também falou sobre projeto contra uso de canudos

A manifestação do deputado ocorreu na tribuna, oportunidade em que falou sobre a criminalização da homofobia, que começou  a ser julgada nesta quarta-feira Supremo Tribunal Federal (STF), por reivindicação do PPS e de entidades de defesa da comunidade LGBT, através de ações ainda de 2012 e 2013 e que pedem a indenização das vítimas de discriminação.

Fábio Novo citou estatísticas que apontam o Brasil como o país que mais matou LGBT no mundo, no ano de 2018,totalizando 419 vítimas,sendo que a cada 20 horas é assassinado um LGBT. No Piauí, segundo dados do grupo Matizes, nove foram mortos no mesmo período, totalizando 69 em dez anos.

A deputada Teresa Britto (PV) se solidarizou com o orador, lembrando que Deus ama a todos, indistintamente. Ela disse entender que é preciso amar as pessoas como elas são. O deputado Fábio Novo concluiu seu discurso anunciando a apresentação de projeto de lei de sua autoria e da deputada Teresa Britto, que proíbe a comercialização de canudos plásticos pelo comércio, por causarem a morte de animais. Ela citou o exemplo de uma baleia que morreu em consequência da ingestão do canudo plástico.

 

Fonte: Alepi